sábado, 5 de janeiro de 2008

Fé cega

No cafézinho do costume, onde ainda se pode fumar, costuma parar uma famelga daquelas que leva a vida dentro das quatro paredes, mas de uma igreja... Não há mal nenhum nisso, aliás até há, mas não é nada comigo!
Corria tudo muito bem, eles iam à missa e eu à minha vida, à noite íamos ao mesmo cefé/bar... Até ao dia em que me vieram com a história das rifas de Natal para a igreja do Carvalhido!
1º ponto- até eram capazes de me convencer, mm que eu saiba que aquilo não vai para onde era esperado;
2º ponto- eu até dava mesmo que o padre metesse o dinheiro ao bolso; 3º ponto- lixou-se tudo quando me disseram as palavras mágicas: "Carvalhido"!! "NÃO DOU! AQUELE PADRE PODE IR MORRER LONGE E SECO QUE EU NÃO LHE DOU UM TOSTÃO PARA O SUPOSTO "SANGUE DE CRISTO" RESERVA ALENTEJANA!!!"- foi a minha resposta...
E já não bastava a família se benzer logo de seguida, como sempre que me veem, me olham como se eu fosse o anti-cristo! E isto sim enerva-me! Enerva-me esta fé cega, não às palavras da bíblia, mas às do padre! Enerva-me estas interpretações ridículas que se fazem!
Não sou católica nem ateia... sou crente mas não pratico... Acredito que há um Deus, que Jesus existiu e que "comemos" aquilo que semeamos... já dizia o provérbio: "Quem semeia ventos colhe tempestades!", mas não acredito que o sol vá brilhar só porque rezamos o terço!
Acredito no respeito pelos outros e na bondade natural dos nossos actos, mas recuso-me a praticar o culto e muito mais quando os padres, supostos servos de Deus, repletos de misericórdia pelos pobrezinhos, têm acções contrárias às suas funções.
Não sou baptizada, graças aos meus pais que me deram o direito a escolher para quando fosse "gente" e pudesse pensar por mim mesma... e da mesma maneira, deixaram que eu frequentasse um colégio de freiras, onde juntamente com outros miúdos, eu assistia a missas e aulas de catequese...só não me podia confessar... "Porquê? Eu também sou uma criança e não faço mal a ninguém, não tenho o mesmo direito?".. "Não podes" diziam-me, mas no entanto era obrigada a rezar... Talvez aí tenha visto a "luz", não a da fé, mas a da hipocrisia da igreja enquanto instituição... Ou talvez tenha sido no recreio, onde 1freira nova lia as cartas de amor (às escondidas), do rapaz que a galanteava nas suas raras saídas... Para ela o amor falou mais alto... divorciou-se não de Deus, mas das freiras e fugiu para fora dos portões verdes... Pecadora", chamaram-lhe muitos e o seu nome não voltou a ser ouvido, como se nunca tivesse existido... "É assim? Larga o colégio e não pode ter fé?"- pensei eu... Pouco depois disso, saí eu pelos portões verdes para nunca mais voltar... Para trás ficou o episódio da madre superiora que me queria "cascar" só porque eu tinha dado um beijo nos lábios da minha mãe! Eu devia ter 9 anos... Não apanhei, mas imagino a mão gorda e munida com anel (caso não saibam as freiras usam aliança, num sinal de casamento com Deus), a fazer estragos na minha cara!!
Passados 16 anos, ainda não me baptizei... estou cada vez mais longe disso... talvez por existirem casais como estes.. a pedirem dinheiro para uma festa, quando são eles mesmos que desembolsam do próprio bolso para comprarem bebidas e fazerem bolos... sendo assim, para onde vai o dinheiro??? Mas eu juro que fechava os olhos e dava... mas não ao carvalhido.. onde o padre, que devia ser misericordioso, fez o meu avô passar a maior vergonha... o mesmo avô que teve um cancro e se curou, que teve a infelicidade de perder a voz e como consequência tossia regularmente...da igreja do Carvalhido onde ia todos os dias, apenas teve direito a um padre histérico a gritar ao microfone para o sr que estava a interromper a missa se retirar!!
Eu devia ter 6/7 anos e passados 20, ainda me lembro da multidão a olhar para o meu avô... nunca mais lá fomos à missa...
E se ao menos eu que não me baptizei, não sou digna do perdão de Deus, ao menos que seja digna do respeito pela memória do meu avô, portanto, para o Carvalhido, ZERO!

5 comentários:

johnny D disse...

Eu considero-me ateu, e digo-te uma coisa: as razões que me levaram a tal foram muito menos importantes do que aquelas com as quais tu te deparaste. Não chego ao ponto de dizer que a religião é o mal de todo o mundo, mas a verdade é que existem muitos acontecimentos negativos que têm a religião como pano de fundo.

beijinho *

churchill disse...

penso que deves ter muitos problemas para resolver.
foi Cristo que disse quem nunca pecou que atire a primeira pedra. não aprendeste esta lição é pena.
lembra-te que os padres e freiras são seres humanos que procuram a divindade mas tambem eles como nós tem maus momentos mas nos no alto do nosso pedestal nunca somos capazes de lhes perdoar.
Felizmente que meus pais me baptizaram Sou Católico Apostolico Romano, dos que acredita em DEUS sim porque quer tu queiras ou não ele existe e sabe o que tu vais pensar quando leres esta mensagem.

vou rezar por ti para que a LUZ te ilumine e te tire da escuridão.

mf

Strawie disse...

Caro churchill ou mf:
Para que poupes as tuas orações e a luz do sr, eu vou-te dar umas luzes:
Em que parte do meu texto é que eu disse que não acreditava em Deus? Pelo contrário, eu disse que acreditava, só não acredito que o ser baptizada ou não, vá demover a minha fé! Graças a Deus, tenho a capacidade de perceber as coisas por mim mesma! Se acreditas em Deus, então devias ser o primeiro a criticar a igreja como instituição de proveito! Devias sim ler a bíblia e retirar as tuas conclusões, porque Deus nunca disse que só os que são baptizados é que são dignos do perdão Dele, e isso, lamentavelmente foi o que as mesmas freiras que tu desculpas como sendo humanas, me ensinaram... Não queres que te recorde dos recentes casos de pedofilia na igreja pois não? Porque julga-los como humanos que pecaram, é algo inadmissivel!!
Mas compreendo que também tu vivas da fé Cega da igreja... è pena, Deus certamente gostaria que as pessoas apenas ouvissem o que ele tinha a dizer e não que fossem aficcionados! Eu prefiro segui-las como exemplo... Termino-te dizendo apenas uma coisa, Deus perdoou Judas pela traição, mas é pena que os padres não perdoem como Ele! Acima de padres e freiras está certamente Ele, e só a ele eu devo contas!
Bom fim de semana

Andreia disse...

aplaudo o teu comentário e assino por baixo Strawie !
A Igreja tornou-se numa instituiçao que se aproveitou da fé que as pessoas possuem para ir enriquecendo!basta olhar para a maioria das igrejas, principalmente para Roma onde se encontra a Sua Santidade o Papa, a sua residencia é tudo menos humilde.
Eu acredito em Deus, mas n sou praticante pois sempre me ensinaram que Deus está em tolo lado.
"ELE ESTÁ NO MEIO DE NOS!"
Mas tb a mim a igreja me negou mt coisa, somente porque nao fiz a 1ªcomunhao!

Meguinha disse...

A igreja tem que ser humilde, e não mentir.
A minha geração e as vindouras, com os conhecimentos que têm, nomeadamente a nível cientifico, só perguntam...Quem o autor da bíblia, pois é anónima na sua essência, e as provas de origem da vida.

Quando a Deus, creio que existe, e está em todo o lado, e não nas igrejas, no entanto se defende a igualdade entre os povos, porque é que o clero que critica a luxuria, é dos que mais guito e luxos têm???
Dá que pensar...