sábado, 10 de janeiro de 2009

Emigrar

Eu e uma amiga, sentadas numa das muitas mesas de café espalhadas pela cidade, falavamos da possibilidade de irmos viver para o estrangeiro, enquanto saboreávamos um café quentinho... A história é igual à de muitos, que nos últimos anos têm-se visto obrigados a ir trabalhar para fora para ter um pouco mais de dignidade... e se uns vão em busca de dinheiro, nós iremos em busca dos sonhos... daqueles que o dinheiro só por si não compra... as pessoas, a cultura diferente, outra sociedade e acima de tudo, uma nova realidade!
Sei que a maioria das pessoas não pensaria duas vezes em sair daqui, mas particularmente nós, somos as duas iguais... o que custa é mesmo o corte do cordão umbilical com aquilo que sempre fomos aqui, mas uma vez cortado, nunca mais nos passaria pela cabeça voltar a morar cá... prefiro (e ela tb), ter dinheiro no bolso para vir matar saudades, do que regressar e não ter dinheiro sequer para sair de casa!
Daí que não dê para compreender o pensamento de muitos amigos que prometem voltar daqui a uns anos... Muitos não têm sequer o 12ºano e ganham mais do que alguém com curso superior aqui, voltando à cidade, quem é que lhes vai pagar mais do que o salário mínimo?
É... o dinheiro não traz felicidade, mas traz a estabilidade... e esta arrasta a felicidade até nós.. O pé de meia não vai durar para sempre e também não estamos a pensar como os antigos emigrantes, que depois de uma vida lá fora, voltam para construir uma mansão pirosa, mais por ostentação do que por saudade da família...
Não! Nós não queremos ter dinheiro para construir uma casa revestida a azulejos e com janelas douradas! Nós dispensamos os numerosos quartos e andares de uma casa que teremos dinheiro para construir mas não para manter...
As horas passaram, o café foi bebido e apenas ficou o sonho... ainda não foi desta que conhecemos a coragem, mas algo me diz que esse dia está mais perto do que nunca*****

1 comentário:

Clara B disse...

É preciso mesmo muita coragem... mas quando não se encontra o que queremos cá dentro...
beijos