sábado, 25 de dezembro de 2010

Ressaca de Natal 2010

E acabou... tão ou mais depressa quanto chegou... Nunca há tempo (nem paciência) para comprar todas as prendas, nunca conseguimos evitar não deixar tudo para a última hora e sempre pensamos: " Mas ainda ontem era verão!"... E quando damos por isso, estamos sentados a uma mesa, empanturrados de comida e rodeados por papel dos embrulhos... Já não é para nós, já não somos nós que recebemos os brinquedos.. estamos à mesa com uma data de "cuecas e meias da avó", rindo e sorrindo à custa do vinho... este ano foi diferente... A "je" trabalhou na manhã de Natal, não deu para se embebedar e nem teve tempo para gozar as prendas... nove da manhã, um grau negativo no ar e estava eu a passar o cartão na porta... Lá dentro ria-se de tudo e de nada, jogava-se à "sueca" e trocavam-se revistas cor-de-rosa sem fazer diferença de sexos... No entretanto, um ou outro cliente... Uns que não sabem o que fazer ao dinheiro, outros que não sabem o que significa dormir até mais tarde, outros que estão sozinhos e outros que são meramente chatos!
Um muito obrigada desde já, ao senhor que passou a manhã a ligar com gravações em chinês e risos maquiavélicos, à senhora que me recomendou não comer muitos doces porque tinha visto na TV um menino que à custa dos diabetes ficou sem pernas, à senhora que me ligou durante meia hora porque a hora no telefone estava atrasada um minuto e desde já um voto de força à senhora que ligou a chorar, pedindo o número da "Vobis" porque tinha comprado uma playstation ao filho mas quando este a desembrulhou, na caixa só estava um livro de instruções e o carregador!... A todos vocês, um óptimo Natal e que 2011 vos traga mais actividades para ocuparem o tempo livre!
Os verdadeiros clientes, os que têm problemas reais para resolver, não ligaram... estavam ocupados em família, a comerem rabanadas e filhoses, porque há coisas bem mais importantes para fazer do que chatearem o próximo... mas porque é que esta gente é cada vez mais rara? E porque é que os que nada têm para fazer não saem de casa para conversar com sem abrigos que precisavam realmente deles? É do frio? É da crise? Deve ser da quantidade de caixas de TV plasmas e telemóveis de última geração que vi nos caixotes de lixo por onde passei... se calhar foram todos à Vobis e vieram apenas com o livrinho de instruções... é... se calhar! Ou então, têm apenas uma falta tremenda de inteligência e respeito ao próximo! E o Natal... esse já quase não é o mesmo...

1 comentário:

provokactor disse...

...ssssHéééééhààààààhêêêêêhhhiiiiiiihihihih.....Hààààiiiii
k'eu mijo-me a rrrrriiiiiirrrrrr...ààààiiiii o meu diafràgma nääääo agguuuentaaaataata.....jà tò todo trammmmnspitàdo., k'eu jà ném vejo o téklàdo.....huff k'isto é a konsumir kom moderaçäo, sobre pena de desatino kròniko...

UIII amiga, limpas-m'o cêbo, fiko sém guordura nenhuma de tanto rir.

Ài, mas é täo bom.

Sôpros pra cima de mim por favor.