sábado, 31 de maio de 2008

Estaremos sós no universo?


A velha pergunta perdura até aos nossos dias... opiniões à parte, teremos nós o direito a pensar que somos os únicos no universo inteiro? Se ele realmente é infinito, seremos tão egocêntricos ao ponto de afirmarmos sem dúvidas que é tudo para nós?
E os constantes relatos ao longo dos anos, uns mais fiáveis que os outros é certo, mas os que são mais credíveis, surgem pela boca de investigadores, pessoas sérias que fazem da investigação o seu ganha pão e que certamente não o fazem apenas para ganhar dinheiro!
Ontem vi mais um programa e acreditem, este foi diferente... isto porque o investigador não acreditava em nada do que as pessoas (supostamente raptadas em tempos), lhe contavam, preferindo ele próprio ver um fenómeno... Conseguiu encontrar umas luzes no céu, depois de calcular e fazer medições... e como ele mesmo relatou, não era um avião pois estes piscam (tal como os Heli's) e não andam para trás, um balão metereológico estava fora de questão e a tecnologia militar ainda não tem aparelhos que brilhem em várias cores ao mesmo tempo.
Houve um investigador que disse: "Se pudesse mostrar ao mundo de forma mental, tudo o que já vi na vida, o mundo tal e qual como o conhecemos mudava da noite para o dia!"...
Posso dizer que eu mesma por duas vezes tive experiências para as quais nunca arranjei explicações, mas apenas porque é algo que nem quero pensar... Muita gente diz que apenas vemos o que queremos ver, mas bolas preferia ver uma alma penada do que aquelas luzes na minha direcção... e digamos que estar sentada no meu carro à espera do meu namorado, não é um cenário propício para eu estar a pensar no quanto (não) gostava de ver um OVNI.. Portanto, desse dia até hoje, não contei nada e a mim mesma, disse que era imaginação minha! Quanto à segunda vez, apenas a 100m de distância do sítio da 1ª vez, preferi acreditar que era uma estrela cadente que em vez de cair, subia, insultando a minha inteligência... fica por saber se realmente "eles andem aí"... *****

3 comentários:

Clara Branco disse...

1:00am, noite cerrada em plena Pampilhosa...férias do verão, eu e uma amiga minha à espera da padaria da aldeia para abrir (estar em férias troca os fusos horários e começamos a viver à noite...) Fomos para o heliporto, utilizado pelos meios aéreos em fogos florestais, ver as estrelas, quando vemos uma luz que parecia ser um satélite "os satélites andam rápido" -lembro-me de ter dito, quando não é o nosso espanto, o objecto começa a andar ao contrário, faz um loop, e acelera, desaparecendo a uma velocidade estonteante no espaço! Enfiámo-nos de imediato dentro do carro, em silêncio, e perguntámos ao mesmo tempo: "tu viste o que eu vi?" A minha amiga, psicologa, tempo mais tarde ainda tentou explicar o efeito: ao olharmos para as estrelas, parece que elas se deslocam... - mas não fazem loopings - disse eu. Acredito que não estamos sós no universo, mas não me agrada nada estar sob o olhar indiscreto de um ovni. Nice post, by the way!

Strawie disse...

Oi clarinha.. pois realmente nessas situações temos tendência a fugir para algum sítio, mas acabo a pensar: "que estupidez, se existem ovnis, de certeza que sabem perfeitamente onde estamos" =), a mim tb não me agrada... mas talvez devido às histórias que nos contam... de raptos, cirurgias... dor... e que ninguém nos esclarece!! Ate descobrirmos algo... ainda me vou desta para melhor.. ou talvez não..

=S ***** e boa semana

johnny D disse...

Eu sinceramente não acredito que andem estraterrestres por aqui. É fácil de ver porquê: se assim fosse, já teriam dizimado esta porcaria toda, ou então tinham vindo conversar connosco. A última opção que resta (a que o resto do pessoal parece acreditar, e a menos plausível) é a de que eles andam só a ver como é que nos safamos. Isso para mim é estúpido, até porque se são assim tão inteligentes para fazerem uma viagem de pelo menos centenas anos-luz, como é que se deixam apanhar pelos testemunhos oculares e algumas fotos e vídeos? Vamos lá ser conscientes... :)